AGK NEWS - notícias e sentimento dos mercados – 21.12.2021

Variante Ômicron derruba as bolsas e faz o dólar disparar no Brasil.

Vários países europeus anunciaram restrições de imediato e outros anunciaram que após as festividades de Natal irão no mesmo caminho.

Reino Unido, Alemanha, Holanda e os EUA estão sendo fortemente castigados. Mesmo a variante sendo de menor ou mesma letalidade das outras variantes, o seu alto poder de contágio lota os sistemas de saúde.

No Brasil discute-se a quarta dose aos imuno depressivos e o início da vacinação em crianças.

Com base nos movimentos da nova variante as bolsas mundiais tiveram quedas em torno de  -1,80% na média.

O dólar no mercado doméstico trabalhou todo o dia acima dos 5,70, no final nos negócios ganhou impulso e fechou em 5,745. Esse á a maior taxa verificada desde março deste ano, quando a segunda onda da covid-19 estava em seu auge.

A fim de tentar segurar as cotações da moeda norte-americana, o Bacen divulgou ontem à tarde que fará em leilão de dólares à vista hoje às 09:30hs. O leilão será na ordem de usd.500 milhões.

Segundo o boletim Focus divulgado ontem, a previsão de dólar segundo as expectativas do mercado subiu novamente, e agora os analistas preveem uma taxa de 5,60 para o fim o ano.

O mercado de câmbio deve continuar pressionado nesses últimos dias do ano. Vários players deverão tomar atitudes defensivas se precavendo dos dias de mercado fechado.

Agenda econômica mundial fraca hoje.

Acompanhando o mercado asiático, os índices acionários europeus e futuros norte-americanos trabalham em alta nesta manhã.

Os preços do petróleo trabalham em alta de +1,30% na média.

O Bacen realiza hoje leilão de dólares à vista (09:30hs), e de swap cambial para fins de rolagens (11:30hs).

AGENDA ECONÔMICA: Principais divulgações hoje:

EUROPA: confiança do consumidor (12:00hs).

EUA: transações correntes (10:30hs), índice Redbook (10:55hs).

BOLSAS DE VALORES:

Ásia: fecharam em alta de +1,30% na média.

Europa: trabalham em alta de +1,50% na média.

EUA-índices futuros: trabalham em alta de +0,60% na média.