Quem criou a Bitcoin e o que é?

Publicado em 09/01/2018

Imagem do Artigo Quem criou a Bitcoin e o que é?

Quem criou a Bitcoin e o que é?


Por muito tempo se acreditava que o Bitcoin tinha sido desenvolvido por um programador japonês, que se escondia através do pseudônimo Satoshi Sakamoto. Em 2016 apareceu um australiano dizendo que era o japonês misterioso.


A bitcoin nada mais é que uma moeda, assim como o real ou o dólar, mas bem diferente dos exemplos citados. O primeiro motivo é que não é possível mexer no bolso da calça e encontrar uma delas esquecida. Ela não existe fisicamente, é totalmente virtual. O outro motivo é que sua emissão não é controlada por um Banco Central. Ela é produzida de forma descentralizada por milhares de computadores, mantidos por pessoas que “emprestam” a capacidade de suas máquinas para criar bitcoins e registrar todas as transações feitas.


Bitcoin nos dias de hoje!


A recuperação do bitcoin acima de US$ 17 mil durou pouco e nesta segunda-feira (08/01/2018) a maior criptomoeda do mundo volta a cair forte, retornando para patamares abaixo de US$ 15 mil. Das 20 maior criptomoedas que existem, apenas uma, a ICON, tinha alta nesta tarde.


Nesta tarde, o Bitcoin registrava queda de 12% no acumulado de 24 horas e operava em torno de US$ 14.750, enquanto no Brasil  as perdas eram de 9%, cotado a R$ 51.000.


Enquanto isso, um rumor aponta que a maior reguladora de finanças da internet  chinesa está pedindo que governos locais "encerrem de forma ordenada" as operações de mineração de bitcoins. Atualmente, a China representa cerca de dois terços do poder de processamento e mineração de bitcoin, sendo que um impacto negativo na região tende a ter maior impacto no mercado.


Nas últimas semanas, enquanto o Bitcoin operava praticamente estável após a queda do fim de ano, algumas altcoins subiam forte, com investidores procurando alternativas à principal criptomoeda. Porém, após as fortes altas recentes, o cenário visto neste início de semana é de correção para praticamente todas as moedas digitais.


Deixe seu comentário