Dólar comercial, paralelo, turismo- Qual a diferença?

Publicado em 12/09/2014

Imagem do Artigo Dólar comercial, paralelo, turismo- Qual a diferença?

Dólar Comercial


O dólar comercial é utilizado pelas grandes empresas para a realização de importação e exportação de mercadorias. As movimentações financeiras do governo no exterior e os empréstimos de brasileiros residentes fora do País, quando registrados no BC, também utilizam esta cotação como referência.

A taxa é negociada entre bancos comerciais e empresas com o objetivo de fechar suas posições no comércio exterior e remessas de capitais. Mas, você deve ter notado que, algumas vezes, a cotação do dólar comercial verificada em uma fonte de informação não é a mesma de outras. Isso pode acontecer porque estas transações ocorrem durante todo o período de funcionamento dos bancos e as taxas podem variar.

A cotação do dólar comercial é definida pelo mercado, embora o Banco Central costume intervir comprando ou vendendo moeda para evitar uma desvalorização (ou valorização, dependendo do caso) muito acentuada.

Embora as cotações possam variar durante o dia, existe uma cotação oficial chamada Ptax, disponível após o fechamento do mercado de câmbio.

A Ptax é formada por quatro pontas: importação, exportação, compra e venda do financeiro das empresas. E também pela negociação de compra e venda entre os bancos (interbancário). A média de todas essas transações é verificada pelo BC ao final do dia para a formação desta taxa.

Dólar Turismo.

O dólar turismo é aquele que compramos quando precisamos efetuar alguma viagem ao exterior. Ele é usado para aquisição de passagens aéreas, para gastos em estabelecimentos internacionais e também para a conversão de débitos efetuados em moeda estrangeira no cartão de crédito.

Dólar Paralelo

O dólar paralelo é um mercado "não oficial" da divisa norte-americana. Segundo Medeiros, antigamente era comum que os brasileiros utilizassem o dólar como uma forma de proteção contra os solavancos da economia e medidas do governo, como o confisco da poupança no início da década de 1990.
Hoje em dia esse tipo de comportamento não é mais comum.
Assim, efetuar transações através desse mercado pode acarretar penalidades. "O mercado paralelo, por estar à margem da legislação e regulamentação vigentes, sujeita seus participantes às sanções cabíveis", diz o site do BC.

fonte economiaUol


Deixe seu comentário