Cotação de moeda-perspectivas financeiras

Publicado em 25/08/2014

Imagem do Artigo Cotação de moeda-perspectivas financeiras

Perspectivas de 25 a 29/08/14

Segundo a Tendências Consultoria, os mercados internacionais devem passar por alguns dias de instabilidade, tendo em vista os patamares elevados das bolsas e as incertezas sobre os ajustes monetários nos Estados Unidos, tema global mais importante para os próximos meses. Nesse sentido,
novos números da economia norte-americana nesta semana favorecem a perspectiva de um quadro volátil, tendo em vista a postura dependente de dados reiterada pelo Fed.

Além disso, as tensões geopolíticas envolvendo Ucrânia e Rússia podem sempre reaparecer no radar, o que favorece certa cautela entre os investidores. No Brasil, a despeito da importância do cenário global, o foco maior estará na divulgação da próxima pesquisa Ibope na terça-feira, que fornecerá um panorama mais claro do novo quadro eleitoral. Ao longo da semana prevaleceu um ambiente positivo para a Bovespa, embalada pela avaliação de uma política macroeconômica mais ortodoxa também em
um eventual governo Marina, embora o real tenha se depreciado em linha com a tendência externa.

No exterior, os indicadores norte-americanos continuarão no centro das atenções nesta semana, devendo manter o quadro instável dos ativos. A cada número forte, a reação é de alta global do dólar e dos juros dos treasuries, com os agentes especulando sobre uma eventual antecipação do aperto monetário pelo Fed. Obviamente, sinais mais fracos geram impactos inversos. Com as bolsas em Wall Street próximas dos picos históricos, também há limitações neste momento para novos ganhos. De qualquer forma, cabe monitorar a agenda de indicadores nos EUA, com destaque para os pedidos de bens duráveis e confiança do consumidor (terça), revisão do PIB (quinta), PCE, índice PMI Chicago e gastos pessoais (sexta). Além disso, é importante acompanhar as notícias das animosidades na Ucrânia, que nesta sexta voltou a assustar os mercados financeiros. A China é outro fator de incerteza de curto prazo, o que tem novamente afetado os preços do minério de ferro, mas nesta semana não traz dados novos.

Dólar, cotações financeiras, quais as perpectivas para o Brasil


O foco do início da semana estará no aspecto político. Está prevista a divulgação de pesquisa Ibope na noite da terça-feira, o que deve causar especulações e impactos antecipados nos mercados. Por ora, os agentes têm reagido positivamente ao bom desempenho de Marina Silva, avaliando que ela amplia as chances de mudança de governo. Porém, diante dos ganhos recentes, especialmente na Bovespa, o fôlego para novos ajustes pode ser menor. No câmbio, a tendência de alta persiste em termos globais, de modo que é preciso monitorar os dados dos EUA. Finalmente, os juros futuros têm um panorama mais incerto, após as fortes baixas dos últimos dias. Uma pressão no dólar pode impulsionar as taxas médias e longas, mas a parte curta segue travada pelo cenário econômico local adverso. Neste sentido, a semana reserva a divulgação do PIB do 2º trimestre, que deve ser muito negativo. Embora seja um dado defasado, uma eventual recessão técnica traria um impacto simbólico relevante.


Deixe seu comentário